top of page
  • Foto do escritorMárcia Carneiro

Os voos da borboleta

Atualizado: 28 de set. de 2022


Cris Barata: uma borboleta em constante transformação.

A alma é uma borboleta... Há um instante em que uma voz nos diz que chegou o momento de uma grande metamorfose. Rubem Alves

Lembro-me quando ela me pediu para que eu lhe desse um exemplo de pessoa poderosa. Nessa época, estava tão avessa ao poder, que não consegui me lembrar de ninguém que eu admirasse e, ao mesmo tempo, tivesse poder. Hoje, se ela me perguntasse, diria o seu nome: Cristiane Barata Búrigo. Mais conhecida como Cris Barata, ela tem um poder essencial, que é lindo, de se admirar. Com um sorriso marcante e encantador, ela fala com desenvoltura sobre diferentes temas, inspira confiança e é impressionante. Tem sensibilidade aguçada, a ponto de traduzir o momento de uma pessoa com apenas cinco minutos de conversa.


Ela é conselheira, inspiradora e generosa. Quando a conheci, junto com suas palavras veio uma força intensa: a força de quem tem segurança no que faz e valoriza cada um de seus aprendizados. Esse motor potente devolveu o movimento à minha vida. Deu a sacudida que eu precisava, para voltar ao eixo e retomar a minha jornada pessoal e profissional.

Há pouco mais de um mês, em 8 de julho, sua empresa, a Papilio Empresarial, completou dez anos de sucesso. Por suas mãos, mais de 280 organizações e líderes nasceram, renasceram, firmaram o rumo, ou passaram a enxergar novos horizontes. Ela, com certeza, é uma mulher PODEROSA.COM.


Em constante transformação

Quando seus dois filhos eram pequenos, foram solicitados, em um processo terapêutico, a desenhar a mãe. Eles tinham uma diferença etária de sete anos e, ambos – sem saber o que o outro iria desenhar –, a representaram como uma borboleta. Acredito que as crianças têm um olhar tão espontâneo, que são capazes de enxergar a alma de uma pessoa. E eles entenderam, muito antes de terem a compreensão, que diante deles estava uma mulher que não tinha medo de mudar, de errar, de acertar, de cair, de se levantar e de ir sempre além. Sim, ali estava uma borboleta. E é por conta dessa história – quase de fadas – que sua empresa recebeu o nome de Papilio.


Conheci a Cris há cerca de dois anos, quando a procurei, buscando ajuda para me reposicionar e encontrar um novo caminho para seguir, em minha carreira. Desde então, quanto mais me aproximo dela, mais aquela força inicial, por mim percebida, vai fazendo sentido e se reafirmando. Ela tem uma história profissional e de vida bastante surpreendente e repleta de fortes emoções.


Seu espírito é desbravador. Graduada em Ciências da Computação, foi da primeira turma da Universidade Federal de Santa Catarina, nessa área. Também esteve à frente, em 1995, do evento inédito de levar o primeiro provedor de Internet para o sul-catarinense, enquanto nós, na terra brasilis, estávamos ainda tentando entender o que era isso.

A palavra inovação deveria estar tatuada em seu braço. Tão jovem, com apenas 23 anos, apostou no empreendedorismo, teve cargos de liderança em corporações, até chegar a CEO, aos 40 anos. Uma carreira brilhante, conquistada com muita resiliência e determinação.


Em sua vida pessoal, passou por grandes perdas, o falecimento de sua mãe e seu pai, desafios financeiros e mudanças de vida significativas. Em 2005, ela saiu de sua cidade natal, Criciúma (SC), para viver em São Paulo (SP) e assumir uma grande responsabilidade: liderar uma empresa, a SCUA. Nada disso a apavorou, pelo contrário, a desafiou. E é abraçando desafios diários que essa “mulher maravilha” – hoje, com 57 anos de idade – está sempre se reinventando e levando renovação à vida de seus clientes e amigos.


Ela orienta, inspira e conecta

Ela conseguiu transpor essa vocação natural para o mundo de negócios, com a fundação da Papilio. Seu papel é possibilitar que empresas e profissionais passem por um processo de transformação, ressignificando suas histórias, ampliando o foco e abrindo caminhos para o crescimento não só negocial, mas também pessoal.

Assim, ela construiu seu lado “borboleta profissional”, com asas que orientam o voo, olhos que enxergam longe e, por isso, inspiram, e antenas aguçadas que fazem a conexão de seus clientes com outros profissionais e empresas. Aliás, isso é muito admirável em sua jornada: ela sempre está disposta a incluir alguém ou “alguéns” em seus planos de voo. Generosidade verdadeira.


Autonomia é a sua palavra-chave

Se eu não colocar essa palavra nesse texto, tudo que falei antes, terá sido em vão. AUTONOMIA. Para ela, esse vocábulo é o motor que guia a sua vida e que deveria guiar a de todas as pessoas. Junto com essa palavra mágica, vem uma outra: longevidade. A somatória das duas resulta em vida plena. Isso significa encontrar equilíbrio e suporte em três âmbitos: financeiro, espiritual e de saúde. Assim, será possível estar sempre atuante e participativo na sociedade, independentemente da idade que você tenha.


Essa filosofia de vida foi tão introjetada por ela, que acabou virando um programa – do qual tenho o prazer e alegria de fazer parte –, o Néctar, voltado a profissionais maduros que estão em processo de transição e querem desenhar um plano B de carreira.


No seu jardim de borboletas

Logo que a conheci, ela me emprestou suas asas para que eu voasse. Depois, ela me fez ver que eu tinha as minhas próprias e não precisava temer um voo solo. Hoje, faço parte de seu jardim de quase 300 borboletas. Um privilégio, sem igual. Serei sempre grata a Cris Barata.


Quem eu sou

Eu sou Márcia Carneiro, fundadora da Arandu Produtora de Conteúdo. Minha grande paixão é escrever e, por meio da junção harmoniosa das palavras, contar histórias: as minhas e de outras pessoas. Minha intenção é provocar reflexões, levar inspirações e buscar novas narrativas para contar, num ciclo contínuo de valorização do tempo e das experiências de vida. Quer que eu também conte a sua história? Faça contato, será um prazer tomar um café virtual com você.

31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page